Google

Quais as Causas da Dificuldade de Aprendizagem?

Os pais de alunos com dificuldades de aprendizagem muitas vezes se perguntam diante desse problema: Isso tem cura? Será que ele conseguirá superar isso? Onde eu errei?

Essas perguntas nem sempre são fáceis de serem respondidas, afinal muitos fatores podem contribuir para as dificuldades de aprendizagem.

Déficits no funcionamento cerebral são apenas uma parte desse problema. O desenvolvimento de cada criança sofre influencias do ambiente escolar, familiar e social. Embora a maioria das dificuldades de aprendizagem tenham uma base biológica o ambiente que a criança é criada determina a gravidade e sua repercussão.

Os fatores biológicos que causam dificuldades de aprendizagem podem ser devido a problemas cerebrais que podem ser da ordem de lesões e doenças cerebrais, problemas no desenvolvimento cerebral ou desequilíbrios neuroquímicos. Outro fator que pode contribuir para o desenvolvimento desses problemas é a hereditariedade.

A maioria dos alunos com dificuldades de aprendizagem não apresentam lesões cerebrais, mas não existe dúvida que algumas lesões cerebrais levam a este problema. Algumas lesões surgem antes do parto devido a doenças durante o período gestacional. O uso de álcool, nicotina, drogas e alguns medicamentos durante a gestação estão associados ao desenvolvimento de dificuldades de aprendizagem. A prematuridade também pode levar a este problema visto que o cérebro dessas crianças está mais vulnerável a lesões.

Falhas no desenvolvimento cerebral: A maturação cerebral ocorre em etapas criando novas conexões entre as partes do cérebro, devido a isso as crianças adquirem capacidade de fazer as coisas gradualmente. Exemplo disso é a capacidade que os bebês adquirem gradualmente de engatinhar e depois andar.

Estudos mostram que a atividade elétrica e metabólica do cérebro de estudantes com dificuldade de aprendizagem é diferente de alunos sem essa condição. As alterações no desenvolvimento cerebral atingem uma determinada área que além de poder interferir na  aprendizagem  leva a outros problemas.

Hemisfério esquerdo hipoativo e direito hiperativo: alunos com esse padrão têm problemas com processamento de linguagem. Normalmente eles têm dificuldades com tarefas que envolvem lógica. Esses alunos precisam de alguma ajuda na análise das tarefas que utilizam material escrito em todo seu processo educacional.

Hemisfério direito hiperativo e esquerdo hipoativo: alunos com esse padrão podem ter dificuldades com memória visual, orientação espacial, consciência corporal e percepção do tempo. Eles se atem a detalhes podendo ter dificuldade com tarefas como organização de um projeto de pesquisa e redação de textos. Esses alunos normalmente não reconhecem expressões faciais e linguagem corporal sendo considerados insensíveis.

Hemisfério frontal hipoativo: alunos com esse padrão podem ter problemas de coordenação, com controle da impulsividade, com planejamento e organização.

Hemisfério esquerdo: Tem relação com processamento da linguagem (leitura, escrita, audição e fala).

Hemisfério Direito: Organiza e processa informações não verbais

Hemisfério Frontal: Controlam o comportamento motor. Relaciona-se com planejamento, avaliando e moderando informações e as emoções.

Alunos com alterações em determinadas áreas cerebrais tem que desenvolver vias neurais alternativas para processarem informações as quais não são tão eficientes quanto as vias normais. Devido a isso esses alunos tem o processamento de informações mais lento. Normalmente esses jovens levam mais tempo para entender as tarefas. Imposição de tempo para realização de tarefas pode ser desastroso para eles.

Existem alunos que tem o desenvolvimento cerebral mais lento que o habitual. Isso leva a dificuldades na aprendizagem, pois seus cérebros não estão prontos para realizar tarefas normais para sua idade cronológica. Em determinadas situações suas atitudes correspondem a jovens da sua idade, mas em outras seu comportamento equivalem a crianças mais novas. Isto nem sempre é notado pelos pais e professores. O amadurecimento cerebral desses alunos podem atingir níveis normais ou próximos e isso, mas eles tendem a ter passado por períodos frustrantes de aprendizagem longos, pois o que estavam aptos a prender não correspondia com o que lhe era ensinado. Mesmo após atingirem níveis de desenvolvimento normais esses alunos podem continuar apresentando dificuldades de aprendizagem, pois eles não aprenderam habilidades e conceitos básicos para uma educação adequada. Caso seus programas de aprendizagem não forem modificados eles apresentarão frustrações repetidas levando a desmotivação no aprendizado e até problemas emocionais.

A boa notícia é que a grande parte dos alunos com dificuldades de aprendizagem respondem bem a um ambiente educacional estimulante com progressos importantes ao receber intervenções precoces e instruções individualizadas e intensificadas.

Crianças que tem desenvolvimento cerebral desigual podem desenvolver talentos em outras áreas. Alunos com dificuldades de aprendizagem frequentemente são muito criativos, pois acabam criando soluções alternativas. Os pais devem ficar atentos para encorajar qualidades em áreas não acadêmicas, pois as dificuldades de aprendizagem podem esconder, por exemplo, a qualidade de liderança, a capacidade empresarial ou talento musical, cara características que podem ser um futuro profissional.

Desequilíbrios neuroquímicos também são causas de problemas de aprendizagem. As dificuldades de aprendizagem que envolvem hiperatividade, dificuldade de manter a atenção, organização e planejamento estão normalmente ligadas a alterações neuroquímicas. Exemplo disso são as crianças com Trasntorno de déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) que se beneficiam do uso de medicações que regulam os níveis de neurotransmissores responsáveis pelos comportamentos desse distúrbio.

Os medicamentos não devem ser considerados a solução exclusiva dos problemas de aprendizagem. Os efeitos dos medicamentos permitem que as crianças consigam aproveitar as oportunidades educacionais, ou seja, não substitui um programa educacional eficiente.  Alunos com TDAH necessitam de apoio contínuo na escola e em casa para que desenvolvam estratégias de aprendizagem efetivas. Intervenções que alterem o comportamento podem melhorar a eficácia do medicamento e em algumas situações por si só podem melhorar o comportamento problemático e levar a uma aprendizagem adequada. Para os problemas de relacionamento interpessoal desses alunos o ensino de habilidade sociais também torna-se importante, afinal a interação com os colegas também é um ponto importante para a auto estima e convivência escolar.

Estudos mostram que a Hereditariedade é um fator importante no desenvolvimento de dificuldades de aprendizagem. Pais com filhos que apresentam problemas de aprendizagem normalmente relatam que também apresentavam tais dificuldades.  A incidência de distúrbios de aprendizagem entre familiares de alunos com esse problema é mais alta que a população em geral, mostrando o papel da hereditariedade. Entretanto a genética não é a única responsável por uma dificuldade de aprendizagem. Outros fatores que determinam essas condições são a influencia do ambiente e fatores individuais específicos. Pais que enfrentaram problemas de aprendizagem mostram-se mais frustrados com a possibilidade de seus filhos enfrentar problemas parecidos. Esses pais muitas vezes também necessitam de apoio profissional.

As influencias ambientais também são fatores importantes na extensão dos problemas de aprendizagem.

Alunos com família estimulante e encorajadora são mais dispostos a aprender com fácil adaptação mesmo que este aluno apresente condições fisiológicas que dificultem a aprendizagem.

Crianças incentivadas de forma carinhosa têm atitudes positivas de aprendizagem acreditando serem capazes e buscando contornas suas dificuldades. Entretanto crianças que vivem em um ambiente sem estímulos podem apresentar problemas no aprendizado mesmo quando não possuem tais dificuldades.

Crianças com problemas nutricionais e que estão frequentemente enfermas obviamente também sofrerão prejuízos na aprendizagem.

Ambiente doméstico com brigas e discussões frequentes dos pais pode levar problemas emocionais infantil, que afetarão sua capacidade escolar.

O ambiente escolar. As escolas com muitos alunos e professores despreparados ou com sobrecarga de trabalho logicamente influenciam a aprendizagem dos alunos. Muitas praticas de ensinos também não favorecem alunos com diferentes padrões de aprendizagem. Por exemplos alunos com padrão de aprendizagem basicamente visual e exploratória terá dificuldade de aprender com professores que utilizam aulas somente expositivas. Isso reflete um problema que muitas escolas tem de se ajustarem à diferenças individuais. Nesses casos a culpa recai sobre o aluno. Quando estudantes estão diante de professores inflexíveis devem ser encorajados a trabalhar da sua própria maneira, se forem penalizados por seus fracassos, certamente irão ficar desmotivados das atividades escolares. Devido a isso ambiente escolares inapropriados podem levar alunos com déficits pequenos a problemas sérios de aprendizagem. Pais que compreendem os pontos fortes e fracos de seu filho na aprendizagem conseguem avaliar as opções educacionais disponíveis e decidir qual a melhor instituição para seu filho.

Muitos pais tentam encontrar a culpa dos problemas escolares de seus filhos, e acabam ansiosos, o que nada ajuda na resolução do problema. Descobrir como mudar essa dificuldade e descobrir a ajuda certa é a medida mais importante nesses casos

Fonte:  Smith & Corine, 2012

Quer Aprender Mais?

Inscreva seu e-mail e receba mais informações.


Comentários

Gostou? Então deixe o seu Comentário abaixo :-)

9 Comentários

    Assine Nossa Newsletter

    Assine Nossa Newsletter

    Faça sua Inscrição e Receba Novidades no seu Email

    Se inscreva no nosso canal

    Sombra